Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Assinala-se hoje o Dia Internacional do Implante Coclear. Muitos perguntarão - que raio é lá isso? Já aqui falei disso algumas vezes, não fosse a minha filha surda sereva-profunda e feliz implantada em 2013, altura desde a qual a sua qualidade de vida melhorou substancialmente. Não se julgue que tudo são facilidades, pelo contrário. É um caminho difícil que começa muito antes da cirurgia e depois todos os dias se aprende qualquer coisa nova, todos os dias há uma descoberta, mas vale muito, mas muito a pena.

Só quem passa por uma situação de surdez, no meu caso da minha filha, sabe dar o valor ao que este dia representa. A imensa importância de ter ouvidos mágicos, como muito bem diz a querida Alice Inácio! É a expressão que melhor define o implante coclear, adoro.

Impalnte coclear.jpg

Nem as pessoas que me são próximas e conhecem a Bárbara imaginam a importância e o impacto, que o implante coclear tem na vida dela quantos mais no geral das pessoas surdas/implantadas.  

Mais informações aqui e aqui - Associação Portuguesa de Apoio ao Implante Coclear. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:01

Com dias de férias do ano passado ainda por gozar, a solução é tirar um dia aqui outro acolá, antes di dia 31 de Março, isto para não perder o direito a elas e para não atrapalhar tanto no que diz respeito ao volume de trabalho, que continua a ser imenso, e ainda bem que assim é. Haja trabalho. Confesso que até gosto disto das férias aos bochechos, pois com tantas horas de trabalho diárias, sabe bem descansar um dia durante a semana.  

Hoje que foi o primeiro dia destes dias, resolvi limpar o meu carro por dentro. Crianças e animais e meses sem limpar, dão nisto, o carro estava quase impróprio. Desleixo meu, que odeio limpar carro e acho um desperdício de tempo fazer isto ao fim de semana quando posso estar com os miúdos ou outra coisa qualquer de muito maior utilidade ou interesse. A coisa vai andando até eu olhar um dia e pensar, desta vez tem mesmo de ser, isto está demais. Hoje depois de levar os miúdos à escola enchi-me de coragem e pronto, está limpinho, até dá gosto. 

Como o dia também se queria de descanso, ainda fiz uma soneca logo a seguir ao almoço. O que aquilo me soube bem... Acordei, ao fim de uma hora, parecia outra. Até a dor de cabeça que me tem atormentado desde o fim de semana estava melhor.

Outra coisa que fiz e tenho imensa pena de não conseguir fazer outras vezes, foi ir buscar os miúdos à escola. Os meus horários não me permitem tal luxo, quando o faço eles ficam tão contentes... enche-me o coração o sorriso deles quando me vêem ali. Uma coisa tão simples... ir buscar os miúdos à escola, um luxo.

A terminar em beleza, estarmos todos em casa à hora do jantar e jantar cedo, sem pressa, com tempo para ter tempo, com direito a sobremesa, arroz doce, feita na hora pelo cozinheiro cá de casa. Outros pequenos luxos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:16

No ano passado, já depois do falecimento da minha mãe em Março, ainda tive de declarar o IRS referente a 2014, o que achei perfeitamente normal, afinal ainda tinha tido rendimentos nesse ano. O que eu desconhecia é que este ano ainda teria de o fazer novamente, quando eu achava que já estava tudo encerrado no que toca a finanças. Declarei o óbito, fiz habilitação de herdeiros (de coisa nenhuma que a minha mãe não tinha qualquer património), paguei imposto selo, etc., etc., estava longe de saber que este ano o IRS da senhora me voltava a tocar. Ah... e tal a senhora ainda recebeu pensões durante três meses... A sério!? Que grande tolice, acho eu. Porque é que não fica tudo arrumado na altura que se declara o óbito e se trata daquela parafernália imensa de burocracias? É tudo tão difícil, está a fazer um ano que a minha mãe morreu, tenho pensado imenso nela, tenho saudades que não se descrevem, apetecia-me tudo, memos entrar num site onde ao efectuar o login me dizem "Bom dia Sra. Lúcia..." , como se fosse a senhora a tratar disto...

Fica a dica, IRS declara-se até depois de morto. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 20:04

Dia do gato

18.02.16

Foi ontem, bem sei, mas ontem (tal como nos últimos tempos) não tive tempo de passar por aqui. Ainda assim não deixo de partilhar a foto dos gatos lá de casa, que para além de abusados, são lindos. Digo eu dona babada.

Dia do gato.JPG

Gata Fiona e gato Mateu

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:58

E hoje foi um deles. Aliás todos os dias que impliquem consultas ou exames com a Bárbara, para mim são dias do demo. Há sempre a angústia, o nervoso miudinho, há as imensas horas de espera, etc. Há os dias que correm sem grandes complicações e depois há dias como o de hoje (infelizmente já são bastantes) em que tudo corre mal. Desde 2013 que a Bárbara tem um implante coclear e até hoje a convivência com o dito foi quase sempre pacífica, salvo um ou outro percalço, nada de mais. Hoje era dia de fazer uma ressonância magnética que foi pedida pela neuricirurgiã (que não sendo a habitual, é da mesma equipa e ajudou à última cirurgia da Bárbara) na consulta de Setembro passado. Eu sei que o implante tem condicionantes, e que as RM não podem ser realizadas acima de 25 teslas, é uma delas. Se a neurocirurgia pede uma exame, eu não questiono - burra!!! é o que sou, burra!!! - no meu desconhecimento essa condicionante estava acautelada. Já na sala respondo ao questionário da praxe, chamo a atenção para o dito implante, para além das placas e parafusos que a Bárbara tem, as cirurgias que fez, etc. Portanto ali naquele instante todas as pessoas envolvidas na realização do exame ficam a par, em traços gerais da situação clínica. A Bárbara é posicionada para entrar na máquina e assim que começa a entrar, queixa-se de uma dor - ai que me estão a apertar - sente um impacto como se algo lhe tivesse batido na cabeça, e tudo corre mal. Puxam-na para fora, o que foi o que não foi - dói-me aqui, ai mãe tenho um alto no sítio do implante... - eu ia morrendo ali mesmo, tremi que nem varas verdes, constatei o dito alto, um inchaço tremendo, ela com muitas dores e eu quase sem conseguir reagir, um desespero. Instantes iniciais passados, lá me ocorreu ligar para a neurocirurgiã habitual, desliga-me a chamada, envio sms sem resposta (entretanto já me ligou e já está a par do disparate), ligo para a técnica do otorrino que acompanha a Bárbara, conto-lhe o sucedido, a senhora ficou chocada, como é que uma médica pede uma RM a um implantado, e manda-me ir e imediato ter com ela ao Hospital de Santa Maria. Eu a precisar de colocar gasolina no carro, os semáforos todos vermelhos pelo caminho, a miúda estoicamente a aguentar as dores, nunca o caminho para aquele hospital me pareceu tão longo. Lá chegadas a Bárbara é examinada de imediato, os médicos já estavam ao corrente da situação, perguntas e mais perguntas. Ao ligar-se o processador ao implante, a Bárbara ouve, portanto na coclea e com o posicionamento do implante está tudo bem, foi o íman que saiu do lugar. Agora é preciso repouso, fazer anti inflamatório e gelo, a ver se o edema e a inflamação diminuem para perceber o que fazer a seguir. Amanhã logo cedo nova avaliação. À partida não será necessário recolocá-lo. A ver vamos.

Eu senti-me a pior mãe do mundo, que burra de não saber que a Bárbara não pode fazer aquele exame, de não contrariar uma indicação médica, sujeitei a minha filha a um sofrimento desnecessário. A técnica de Sta. Maria bem me tentou tranquilizar, quem tem de saber o que pede é a médica, mas a culpa não me larga... Podia ter feito tão melhor, eu já devia saber... a minha filha já passou por tanto...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:12


Mais sobre mim

foto do autor


Instagram


2019 Reading Challenge

2019 Reading Challenge
Cátia has read 0 books toward her goal of 12 books.
hide



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D



Comentários recentes