Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Fui convidada pela MJP para escrever um texto sobre a Liberdade para ser publicado no seu blog Liberdade aos 42.

Em primeiro lugar senti-me lisonjeada por ela me achar digna de escrever um texto a ser publicado no seu blog, em segundo lugar só podia aceitar e desejar estar à altura do desafio.

Está aqui se quiserem ler. Adorei escrever para blog alheio. Obrigada MJP 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:58

E0775002-6B83-40EB-8234-5C5C910E9DAB.jpeg390E9D71-E68F-4A91-825E-3EC73C43EAB5.jpegACF064C0-EE26-4816-A39B-35B18B6EAC60.jpeg

É impressão minha, ou a cada ano que passa o Natal "começa" mais cedo? 

Há coisa de quinze dias, ainda em Setembro, reparei que em Algés e no Dafundo já estavam colocadas as decorações de Natal. Iluminações nas árvores e nas ruas. Aquilo mexeu comigo. Pensei, não estou preparada para isto... continuo a não estar e sinto isso todos os dias quando passo pelas iluminações. Já era para ter comentado isto por aqui, mas só ontem consegui fotografar as ditas para partilhar por aqui.

Logo depois no supermercado já é Natal por todo o lado, chocolates, doces, decorações, etc.

Sinto que este ano ficou por viver, sensação esquisita esta. Ainda ontem era Março e fomos todos obrigados a ficar fechados em casa e agora temos o Natal ao virar da esquina. Que ano este...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:21

Eu de férias (embora não pareça, tenho trabalhado todos os dias) e a filha de folga, o que é que pede? Um programa de mãe e filha, claro está. E o que fazem duas miúdas, giras ainda por cima (gaba-te cesto), juntas? Tratam de se embonecar. Fomos fazer alisamento às longas melenas. A Bárbara há muito que me pedia para ir com ela, era algo que queria fazer para domar aquela juba que era o cabelo dela. Hoje foi o dia. A magia quem fez foi a Makeover Cabeleireiros, que sabe bem desta arte de alisar cabelos. Mais uma vez foram impecáveis (e não isto não é publicidade, pagámos cada cêntimo). 

No final a auto estima estava em alta e o resultado foi este, para mais tarde recordar:

A17FD872-B6D5-4264-A766-35885E00F189.jpeg

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:40

Em destaque!

07.10.20

Captura de ecrã 2020-10-07, às 18.48.04.png

É sempre um orgulho abrir o sapo blogs e ver o bloguinho em destaque por lá.

Obrigada sapinho 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:08

Outono 🍂

05.10.20

D617C584-D21E-4F0A-A830-223D5D0EEBE5.jpeg

Aquela estação do ano que me traz sempre a sensação de "mixed feelings". Se por um lado gosto de voltar a sentir o aconchego de uma camisola ou sweat-shirt, por outro é a despedia da minha estação do ano favorita. Quem me conhece sabe que sou do sol e calor, dos dias compridos, da praia e dos banhos de mar. E este Verão soube a muito pouco, tão atípico que foi. Ainda assim passeei, conheci novos locais, revisitei outros. A praia, essa que eu tanto gosto, faltou e muito. Assim como o sol e sal na pele, as jantaradas e as noites quentes. Faltaram-me os afectos, as minhas pessoas, as minhas irmãs. 

Com o Outono vai-se o calor, vão-se os dias maiores, vai-se a vontade de os querer aproveitar até ao pôr-do-sol tardio. A natureza sabe o que faz, leva-nos estas coisas, mas traz os dias em tons laranja e amarelo, o cair das folhas que dá aquela nostalgia. Traz os dióspiros, as castanhas assadas, a jeropiga e a água pé para ajudar a aquecer, à troca do calor que já se foi. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 13:12

... e a cinco dias do País entrar novamente em estado de contingência, a pandemia volta (se é que alguma vez deixou de) a estar assustadoramente real. Eu continuo a ter a terrível sensação que estou a viver dentro de um filme ou um sonho mau a que não vislumbro o fim num horizonte, mesmo que longínquo. Estou mesmo cansada. Cansada destas regras, desta forma de trabalhar, de viver, de conviver, de existir até. Cansada de ter receio do que o futuro nos espera. Nem nos piores sonhos pensei que passado este tempo a situação ainda estaria assim. A vontade que eu tenho de fazer um fast foward até 2021 (quiçá 2022) na expectativa de a vida voltar a ser normal. 

Cá em casa podemos dizer que somos uns privilegiados. Eu continuei sempre a trabalhar e ninguém perdeu rendimentos mesmo quando em lay off (marido e filha que entretanto já trabalham a 100% também). Nem imagino o desespero e a aflição de quem ao contrário se vê sem saber como pagar contas e assumir responsabilidades. Ninguém da família ou amigos ficou doente, outra bênção. Se tem sido fácil ainda assim? Não, de todo. Foi difícil estarmos todos fechados em casa todos os dias durante as 24h do dia. Foi difícil ver e acompanhar o restante ano lectivo do mais novo. Profissionalmente fui das mais sacrificadas, caiu-me quase tudo em cima, as minhas colegas têm crianças pequenas e enquanto elas ficaram em casa até Julho, eu regressei ao batente a dezoito de Maio. Ainda que em teletrabalho, quando se trabalha numa entidade "pública" o peso do papel é brutal e a sobrecarga de trabalho para por o teletrabalho em dia foi avassalador. Desde o confinamento e até às férias que trabalhei no mínimo doze horas diárias e muitas outras aos fins-de-semana. Era suposto ser adoptado um regime misto entre teletrabalho e trabalho presencial, contam-se pelos dedos de uma mão os dias que consegui ficar em casa. Vi as férias reduzidas para uma semana apenas, sem nunca desligar completamnte, e voltei a trabalhar duro novamente. Impus-me menos horas, isso é verdade, e quero ver se consigo manter. 

As aulas começam na próxima semana e não estou nada descansada com isso. Quero acreditar que as escolas vão dar o seu melhor para proteger os alunos e tentar mitigar a propagação do vírus. O que se irá conseguir com as novas medidas de contigência anunciadas hoje pelo Primeiro-Ministro? A ver vamos, como diz o cego.

No geral e mesmo com tanta coisa que se passou nestes meses, senti que tudo foi um flash e tenho a sensação que a vida está em suspenso desde o dia 13 de Março. Lá vai tempo em que acreditava que iríamos ficar todos bem. É impossível ficar bem depois do tsunami que esta pandemia foi para o mundo inteiro. Há coisas que não se esquecem, há feridas que mesmo de pois de passarem deixam marcas para a vida toda. Assim será com esta pandemia. Quero muito que o tempo passe mais depressa ainda até ao ponto em que estes meses sejam só uma memória de um capítulo mau das nossas vidas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:01

As férias este não são dadas a grandes programas, confesso que ainda não me sinto confiante o suficiente para me meter em molhadas e confusões. A somar, o marido não está de férias, somos eu e os miúdos. Estamos a fazer o melhor com as circunstâncias que temos e tem sido bem bom.

Segunda-feira levámos a avó a passear e ela ficou tão contente. Coisas simples fazem momentos e memórias tão bons. Foi um dia que nos deixou de coração cheio. Começámos por ir escolher um novo telemóvel, pois o da avó já há algum tempo que estava a dar as últimas. O complicado foi escolher um telemóvel o mais básico possível, coisa que rareia nas lojas hoje em dia. Mas conseguimos e com a vantagem de ser baratinho, por € 29,99 fizemos a festa. Depois fomos almoçar ao Bitoque no Ponto da Justa Nobre, a ideia era não demorar muito, que o programa estava só a começar, mas que não tivesse ela de se preocupar em fazer o almoço para todos. Dali rumámos ao nosso destino final que eram o Parque das Nações e o Oceanário. Passeámos, andamos de teleférico, comemos gelados e por fim visitámos o Oceanário que a avó adorou e onde nunca tinha ido. B5E31A37-2844-4B03-ACA5-83FF4ED6DB58.jpeg5D2E7515-7498-4DCB-97B6-4B81A491D645.jpeg159036F1-D164-4D90-A1C4-4C603ED0AC90.jpeg7A09E966-24A4-4D47-A767-5E0BDB100AAC.jpeg

No Oceanário embora tentassem fazer cumprir as regras e medidas de segurança, com imensos dispensadores de gel desinfectante, sinalética e marcas no chão a lembrar o distanciamento de segurança, o difícil é ver as ditas regras cumpridas. As pessoas esquecem-se facilmente ou então não estão nem aí, e isso incomodou-me qualquer coisa. Já o uso de máscara é plenamente cumprido, assim como o controlo de número de entradas. No geral acho que correu bem. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:48

Lx Factory

26.08.20

No mesmo dia em que fomos ao miradouro das Amoreiras, e já que a visita acabou por ser um programa curto, aproveitámos para dar umas voltas por ruas e ruelas de Lisboa. E de repente sem estarmos a contar ou programar estávamos de frente para a entrada do Lx Factory. Também já lá queríamos ter ido, aproveitámos e visitámos. Ao contrário da minha expectativa, não gostei do espaço. Havia muita gente,  muitos carros, distanciamento social zero e controlo nenhum, fosse no espaço fosse nas lojas ou restaurantes. Vimos inclusivamente pessoas sem máscara. Aquilo não me agradou de todo. Até a livraria que eu tanto queria conhecer, de que tanto se fala e escreve deixou a desejar. Foi quase uma entrada por saída, com muita pena minha. Será o espaço imune ao vírus e à pandemia? É o que parece pelo que ali vi... 

Não deveria ser permitida a entrada de carros, pelo menos naquela entrada pequena. Porque não entrarem só pelo lado da Marginal? As ruas são estreitas, os passeios idem, acabamos a fugir dos carros encolhedo-nos como possível. Ainda por cima havia obras a decorrer nas ruas já de si estreitas. Acredito que o espaço tenha potencial, mas para mim foi uma desilusão. Não tenciono repetir tão cedo. Só os espaços de refeição me fizeram alguma cobiça, pois cheirava muitíssimo bem por todo o lado. Mas comer pó e cheiro a carros com a refeição, não é para mim, obrigada. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:30

Fomos conhecer o Amoreiras 360º Panoramic View. Há já algum tempo que queria lá ir. Por este ou aquele motivo ainda não tinha sido possível. Depois veio o bicho mau e o mundo parou. Agora estão de novo abertos ao público e nós aproveitámos para lá ir. As normas de segurança são largamente cumpridas, máscara de uso obrigatório mesmo quando se está lá em cima, número de visitantes limitado (apenas dez em simultâneo), a subida no elevador ainda o é mais (apenas quatro pessoas a cada viagem), álcool gel em vários pontos, tudo dentro das normas como se quer. Desvantagens: a visita está limitada a 10 minutos por pessoa (sabe a pouco quando olhamos a cidade bonita que ela só), foram retirados os sofás, não sendo possível sentar em nenhum local e os periscópios estão inoperacionais. É a nova realidade. Talvez por todos estes senãos as entradas são gratuitas, embora careçam de levantamento de bilhete na recepção do centro comercial. 

Eu que amo esta cidade luz adorei a visita e a vista deslumbrante. Enquanto lá estive não me saía da cabeça a música do Carlos do Carmo que tão bem descreve Lisboa. 

"Lisboa menina e moça menina 🎼
Da luz que os meus olhos vêm tão pura 🎼 ..."

D1CDFD25-F3F8-472C-BF49-6CA93DED44C9.jpeg5AD01C2F-DFD3-4259-93AA-23D116003ACB.jpegB2E6F6BF-6186-419F-9B78-C559342C82CF.jpeg

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:41

Férias

26.08.20

Este ano as férias de verão são bem curtinhas, são as possíveis. Uma semaninha apenas, por isso há que aproveitar da melhor forma. Ideias não faltam, vamos fazer o possível. Balanço a meio da semana: fomos ao miradouro das Amoreiras, fomos ao LX Factory, levámos a avó a passear e a visitar o Oceanário, fomos à praia num dos nossos locais preferidos, Troia. Hoje por uma complicação minha de saúde fazemos uma pausa nos programas, mas ainda assim iremos levantar os óculos novos da mais velha e aproveitar para comprar o material escolar do mais novo, afinal as aulas estão apenas a três semanas de distância. Os planos seguem de vento em popa para os próximos dias. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:43


Mais sobre mim

foto do autor


bertrand

Halloween 2020 | Livros de Arrepiar - MREC

Instagram


2020 Reading Challenge

2020 Reading Challenge
Cátia has read 0 books toward her goal of 14 books.
hide




Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D



Comentários recentes