Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



... e a cinco dias do País entrar novamente em estado de contingência, a pandemia volta (se é que alguma vez deixou de) a estar assustadoramente real. Eu continuo a ter a terrível sensação que estou a viver dentro de um filme ou um sonho mau a que não vislumbro o fim num horizonte, mesmo que longínquo. Estou mesmo cansada. Cansada destas regras, desta forma de trabalhar, de viver, de conviver, de existir até. Cansada de ter receio do que o futuro nos espera. Nem nos piores sonhos pensei que passado este tempo a situação ainda estaria assim. A vontade que eu tenho de fazer um fast foward até 2021 (quiçá 2022) na expectativa de a vida voltar a ser normal. 

Cá em casa podemos dizer que somos uns privilegiados. Eu continuei sempre a trabalhar e ninguém perdeu rendimentos mesmo quando em lay off (marido e filha que entretanto já trabalham a 100% também). Nem imagino o desespero e a aflição de quem ao contrário se vê sem saber como pagar contas e assumir responsabilidades. Ninguém da família ou amigos ficou doente, outra bênção. Se tem sido fácil ainda assim? Não, de todo. Foi difícil estarmos todos fechados em casa todos os dias durante as 24h do dia. Foi difícil ver e acompanhar o restante ano lectivo do mais novo. Profissionalmente fui das mais sacrificadas, caiu-me quase tudo em cima, as minhas colegas têm crianças pequenas e enquanto elas ficaram em casa até Julho, eu regressei ao batente a dezoito de Maio. Ainda que em teletrabalho, quando se trabalha numa entidade "pública" o peso do papel é brutal e a sobrecarga de trabalho para por o teletrabalho em dia foi avassalador. Desde o confinamento e até às férias que trabalhei no mínimo doze horas diárias e muitas outras aos fins-de-semana. Era suposto ser adoptado um regime misto entre teletrabalho e trabalho presencial, contam-se pelos dedos de uma mão os dias que consegui ficar em casa. Vi as férias reduzidas para uma semana apenas, sem nunca desligar completamnte, e voltei a trabalhar duro novamente. Impus-me menos horas, isso é verdade, e quero ver se consigo manter. 

As aulas começam na próxima semana e não estou nada descansada com isso. Quero acreditar que as escolas vão dar o seu melhor para proteger os alunos e tentar mitigar a propagação do vírus. O que se irá conseguir com as novas medidas de contigência anunciadas hoje pelo Primeiro-Ministro? A ver vamos, como diz o cego.

No geral e mesmo com tanta coisa que se passou nestes meses, senti que tudo foi um flash e tenho a sensação que a vida está em suspenso desde o dia 13 de Março. Lá vai tempo em que acreditava que iríamos ficar todos bem. É impossível ficar bem depois do tsunami que esta pandemia foi para o mundo inteiro. Há coisas que não se esquecem, há feridas que mesmo de pois de passarem deixam marcas para a vida toda. Assim será com esta pandemia. Quero muito que o tempo passe mais depressa ainda até ao ponto em que estes meses sejam só uma memória de um capítulo mau das nossas vidas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:01

As férias este não são dadas a grandes programas, confesso que ainda não me sinto confiante o suficiente para me meter em molhadas e confusões. A somar, o marido não está de férias, somos eu e os miúdos. Estamos a fazer o melhor com as circunstâncias que temos e tem sido bem bom.

Segunda-feira levámos a avó a passear e ela ficou tão contente. Coisas simples fazem momentos e memórias tão bons. Foi um dia que nos deixou de coração cheio. Começámos por ir escolher um novo telemóvel, pois o da avó já há algum tempo que estava a dar as últimas. O complicado foi escolher um telemóvel o mais básico possível, coisa que rareia nas lojas hoje em dia. Mas conseguimos e com a vantagem de ser baratinho, por € 29,99 fizemos a festa. Depois fomos almoçar ao Bitoque no Ponto da Justa Nobre, a ideia era não demorar muito, que o programa estava só a começar, mas que não tivesse ela de se preocupar em fazer o almoço para todos. Dali rumámos ao nosso destino final que eram o Parque das Nações e o Oceanário. Passeámos, andamos de teleférico, comemos gelados e por fim visitámos o Oceanário que a avó adorou e onde nunca tinha ido. B5E31A37-2844-4B03-ACA5-83FF4ED6DB58.jpeg5D2E7515-7498-4DCB-97B6-4B81A491D645.jpeg159036F1-D164-4D90-A1C4-4C603ED0AC90.jpeg7A09E966-24A4-4D47-A767-5E0BDB100AAC.jpeg

No Oceanário embora tentassem fazer cumprir as regras e medidas de segurança, com imensos dispensadores de gel desinfectante, sinalética e marcas no chão a lembrar o distanciamento de segurança, o difícil é ver as ditas regras cumpridas. As pessoas esquecem-se facilmente ou então não estão nem aí, e isso incomodou-me qualquer coisa. Já o uso de máscara é plenamente cumprido, assim como o controlo de número de entradas. No geral acho que correu bem. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:48

Lx Factory

26.08.20

No mesmo dia em que fomos ao miradouro das Amoreiras, e já que a visita acabou por ser um programa curto, aproveitámos para dar umas voltas por ruas e ruelas de Lisboa. E de repente sem estarmos a contar ou programar estávamos de frente para a entrada do Lx Factory. Também já lá queríamos ter ido, aproveitámos e visitámos. Ao contrário da minha expectativa, não gostei do espaço. Havia muita gente,  muitos carros, distanciamento social zero e controlo nenhum, fosse no espaço fosse nas lojas ou restaurantes. Vimos inclusivamente pessoas sem máscara. Aquilo não me agradou de todo. Até a livraria que eu tanto queria conhecer, de que tanto se fala e escreve deixou a desejar. Foi quase uma entrada por saída, com muita pena minha. Será o espaço imune ao vírus e à pandemia? É o que parece pelo que ali vi... 

Não deveria ser permitida a entrada de carros, pelo menos naquela entrada pequena. Porque não entrarem só pelo lado da Marginal? As ruas são estreitas, os passeios idem, acabamos a fugir dos carros encolhedo-nos como possível. Ainda por cima havia obras a decorrer nas ruas já de si estreitas. Acredito que o espaço tenha potencial, mas para mim foi uma desilusão. Não tenciono repetir tão cedo. Só os espaços de refeição me fizeram alguma cobiça, pois cheirava muitíssimo bem por todo o lado. Mas comer pó e cheiro a carros com a refeição, não é para mim, obrigada. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:30

Fomos conhecer o Amoreiras 360º Panoramic View. Há já algum tempo que queria lá ir. Por este ou aquele motivo ainda não tinha sido possível. Depois veio o bicho mau e o mundo parou. Agora estão de novo abertos ao público e nós aproveitámos para lá ir. As normas de segurança são largamente cumpridas, máscara de uso obrigatório mesmo quando se está lá em cima, número de visitantes limitado (apenas dez em simultâneo), a subida no elevador ainda o é mais (apenas quatro pessoas a cada viagem), álcool gel em vários pontos, tudo dentro das normas como se quer. Desvantagens: a visita está limitada a 10 minutos por pessoa (sabe a pouco quando olhamos a cidade bonita que ela só), foram retirados os sofás, não sendo possível sentar em nenhum local e os periscópios estão inoperacionais. É a nova realidade. Talvez por todos estes senãos as entradas são gratuitas, embora careçam de levantamento de bilhete na recepção do centro comercial. 

Eu que amo esta cidade luz adorei a visita e a vista deslumbrante. Enquanto lá estive não me saía da cabeça a música do Carlos do Carmo que tão bem descreve Lisboa. 

"Lisboa menina e moça menina 🎼
Da luz que os meus olhos vêm tão pura 🎼 ..."

D1CDFD25-F3F8-472C-BF49-6CA93DED44C9.jpeg5AD01C2F-DFD3-4259-93AA-23D116003ACB.jpegB2E6F6BF-6186-419F-9B78-C559342C82CF.jpeg

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:41

Férias

26.08.20

Este ano as férias de verão são bem curtinhas, são as possíveis. Uma semaninha apenas, por isso há que aproveitar da melhor forma. Ideias não faltam, vamos fazer o possível. Balanço a meio da semana: fomos ao miradouro das Amoreiras, fomos ao LX Factory, levámos a avó a passear e a visitar o Oceanário, fomos à praia num dos nossos locais preferidos, Troia. Hoje por uma complicação minha de saúde fazemos uma pausa nos programas, mas ainda assim iremos levantar os óculos novos da mais velha e aproveitar para comprar o material escolar do mais novo, afinal as aulas estão apenas a três semanas de distância. Os planos seguem de vento em popa para os próximos dias. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:43

Note to self

20.08.20

tumblr_5fd7b220608cba5cdace3a859f820af1_6f2ca891_5

Imagem Every Day is a New Day

O resumo dos últimos meses tem sido exactamente o oposto. Nem de propósito enquanto "passeava" neste blog, que adoro, dei de caras com este post. Caiu-me a ficha. Tenho mesmo de aprender a praticar este lema muito mais. Fica a dica quando estou a um dia das férias 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:54

Ponto prévio: este não é um publipost (tanto que se fala sobre escrever de marcas que quase tive medo de escrever este post). Foi da minha carteira que saiu esta experiência. Partilho-a porque merece.

Uso óculos assim um bocadinhos mais a sério desde há cinco anos. Se naquela altura foi como se tivesse visto a luz, quando há dois anos renovei as lentes, a conversa foi outra. Nunca me adaptei completamente  e continuava a não ver tão bem assim. Até que deixei de usar os óculos pois ao fim do dia estava mais cansada do que sem eles. Insisti com mais duas consultas e sem nunca me convencer plenamente. De ambas as vezes achei que os médicos não compreenderam o que eu dizia e senti-me um bocadinho despachada, "vai-te lá embora, que não tenho tempo para isto". Pensei, não vou gastar dinheiro noutros óculos só porque sim. Ainda por cima na última consulta uma das respostas foi, se calhar tem de começar a pensar em usar lentes progressivas ou então óculos para perto e óculos para longe. Porra se é assim agora quando tiver sessenta nem quero pensar.

Teimosa que sou, pensei eu não estou maluca e não me dei por vencida. Estávamos em finais de Fevereiro, ainda se podia ir ao centro comercial sem restrições, embora o bicho já desse que falar por esse mundo fora, e eu ao passar à porta de uma loja Multiópticas com a publicidade às consultas entrei e marquei. Em boa hora o fiz. A médica, ainda que novinha, foi uma querida, teve uma paciência imensa comigo e experimentou até mais não variadas opções até chegar a uma em que eu até me emocionei, estava a ver bem a qualquer distância e sem sombras ou imagens desfocadas. Fiquei mesmo feliz. Uma coisa que notei foi nos equipamentos utilizados que eram super modernos comparados com os das duas últimas consultas que tinha feito.

Resumindo, preciso de lentes para longe e para perto também, mas não chegando ao exagero das progressivas. A opção foram umas lentes que já têm um bocadinho de progressão (falando em termos leigos) e são até uma adaptação para o futuro. Outra coisa que desconhecia, as ditas lentes têm um tratamento para proteger os olhos em frente ao computador e outros com aquela luz tramada que nos cansa imenso a vista para além de anti-reflexo, etc. Aproveitei uma campanha e fiz dois pares de óculos, sendo que os segundos são para "desenrascar" e têm lentes ditas normais. Faz toda a diferença mesmo a qualidade das lentes dos óculos principais. Não penhorei um rim (tão caro que vejo óculos e lentes por essas lojas fora) para pagar os óculos novos e estou mesmo a ver bem. 

Felizmente os óculos ficaram prontos na semana antes do confinamento e verdade é que não passo um dia a trabalhar sem eles. Aliás tenho consciência que os deveria usar a tempo inteiro, mas não o faço.

A minha filha que é seguida no hospital público em neuro oftalmologia, está há mais de um ano à espera da marcação de uma consulta. Claro que com a pandemia a coisa só tem a piorar e não há meio de ser marcada a consulta, nem previsão há, está para agendamento. A verdade é que se tem queixado imenso de estar a ver muito pior e acabei por marcar para ela também na Multiópticas e fiz questão que fosse com a mesma médica. Foi o melhor. Mais uma vez incansável, o historial da minha filha dá pano para mangas e ela não se intimidou por um instante. Foi a primeira a dizer que se não estivesse confortável não avançava com a consulta. Avançou e pelo melhor, a miúda conseguiu uma visão em pleno com as lentes experimentadas. Está mais míope e também tem mais astigmatismo. É o que é, mas agora vai ver bem. Optámos pelas mesmas lentes que eu com as características de proteção, anti reflexo e afins. Os óculos foram mais caros do que os meus, mas porque a armação escolhida foi mais cara.

Bem sei que as pessoas fazem a diferença e nesta loja em particular só tenho a dizer bem. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:00

Completo hoje quarenta e cinco anos, quarenta e cinco voltas ao sol. É muita volta! E esta última com grandes mudanças e desafios profissionais e com uns últimos meses  bem atribulados, não estivéssemos todos a atravessar uma pandemia. É o que é. Por esse motivo também as comemorações serão contidas, claro, e em casa como se quer. Marido e filhos presentes e bem hajam as tecnologias para que não faltem as vídeo chamadas e afins.

Se no ano passado pela primeira vez não trabalhei no meu aniversário, estava de férias na ilha, hoje estarei a trabalhar, mas por casa, também uma novidade para mim. A vida é isto mesmo, vivências e aprendizagens que nos fazem crescer e evoluir enquanto pessoas e seres humanos. 

Que seja um dia bom, que comece uma nova volta e um novo ano com tudo de bom. Venham lá os 45 e venham com tudo, que garra não me falta para o que der e vier.

happy-45th-birthday-gold-surprise-260nw-1299421666

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:28

Não, não vou dizer que parece que foi ontem. Estaria a faltar à verdade, não parece mesmo. Tanta coisa, tantas emoções, tantos percalços e tanto tudo. Tenho até a sensação que vivemos várias vidas nesta vida que já levas. Vida que não te tem sido fácil, não obstante os meus esforços quase hercúleos para que fosse mais fácil. Tomara puder ter passado por tudo no teu lugar. O que não nos derruba, torna-nos mais fortes. Acredito que sim, mas se calhar já tiveste mais do que a conta. Mais do que muitos numa vida inteira e ainda agora estás a fazer vinte anos. Também por isso, quero crer, te fechas tanto no teu mundo desde sempre. E vá lá conseguir contrariar este teu jeito. Cada um é como cada qual e tu és assim. Gostas imensuravelmente do teu irmão (embora lhe faças a cabeça em água quando queres), e da avó, e do teu pai, mesmo quando isso me deixa um nó na garganta. Será sempre o teu pai, a pessoa que na minha vida passada escolhi para ser o pai dos meus filhos. Eu também não sou perfeita e também gostas de mim assim. 

Menina a tornar-se mulher a olhos vistos, menina doce e meiga (às vezes até melga), mas também torta que eu sei lá. Já dizia o avô Carlos, quando eras pequenina, em jeito de brincadeira e embevecido a olhar para ti: a Bárbara é torta e tem mau feitio. Aposto que o teu irmão concorda :) . 

Vinte anos são a entrada definitiva na idade adulta. Um número tão redondo, uma idade tão memorável. Gostava muito que a comemoração fosse diferente, com todos juntos, como tanto gostas, mas dá-se o caso de se ter metido uma pandemia pelo meio e este ano será o possível, um bocadinho com uns, outro com outros (vai-te embora bicho mau, que este ano não está a deixar saudades).  

Lutadora, responsável e trabalhadora. Mesmo tendo de te esforçar muito mais do que outros, atingiste mais objectivos que muitos. Tanto que sempre foste admirada e elogiada por professores e colegas. Tantos que no fim do curso e do estágio te ofereceram trabalho. E por lá continuas para construires a tua vida. 

Se os teus dezoito anos me abalaram, agora a fazeres vinte estou tranquila. Serás sempre a minha caçula, o meu amor maior. A vida corre, é o que é e não há como parar. O que mais desejo é que sejas feliz.

Vinte anos de ti, vinte voltas ao sol. Parabéns, filha minha 

F5379BDC-47C9-4A5C-9124-C237D185A793_1_201_a.jpeg

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:30

Foi o in-fer-no!!! Sim, exagero meu, mas estava a ver que não conseguia. Finalmente já está. Ufa! Trocando isto em miúdos: este ano a renovação das matrículas escolares são unica e exclusivamente online. No passado Domingo recebi um email da directora de turma a dar as respectivas indicações e prazos para a dita renovação. Seriam de 26 de Junho a 5 de Julho, pensei ok tenho uns dias. Como nestas coisas não gosto de deixar para a última, na terça-feira fiz a primeira tentativa. E tentei durante horas, nada feito. Nos dois dias seguintes voltei a tentar e foram mais horas a várias horas diferentes do dia. A página não carregava, quando conseguia a sessão expirava, a página fechava, depois deixou mesmo sequer de permitir colocar o endereço na página web, enfim houve de tudo um pouco. Quinta-feira à tarde, preocupada e a ver o prazo a passar, resolvi ligar para a escola. Confirmaram que sim, que estava a acontecer isso, que tinha de continuar a tentar e a insistir (como se eu nem estivesse a trabalhar nem nada, mas estou portanto não posia estar todo o dia naquilo). Também me disseram que o prazo tinha sido alargado para dia 12 de Julho. Disse que não fazia ideia, não tinha tido essa informação por parte da DT. Resposta: assim que entra, a informação está no site. Mas eu não consigo aceder ao site, respondi. Pois..., foi o comentário que obtive. Adiante. Continuei sempre a tentar, até à meia-noite e mesmo mais tarde tentei, às sete da manhã, hora de almoço, etc. Sempre sem sucesso. 

Hoje de manhã, uma colega que sabia deste meu desespero, ligou-me a dizer que tinha visto no facebook uma publicação de alguém a dizer que tinha conseguido fazer a matrícula. Larguei tudo o que estava a fazer, agarrei-me ao computador, com pouca esperança confesso, e qual não foi o meu espanto quando consegui ir fazendo cada passo da renovação até ao fim. Habemus matrícula efectuada! Nem sei bem como. Agora já estou descansada. Constatação, o site é uma treta, o formulário não é nada intuitivo, os campos cujo preenchimento são por escolha nas opções disponíveis demoram a carregar, parecendo que a opção que precisamos não consta, tive imensas dúvidas, mas lá consegui e isso é que importa. 

É tudo para facilitar, para agilizar e tendo em vista a modernização administrativa, certo? A verdade é que foi um processo tudo menos fácil, já para não dizer enervante. Acredito que não serei a única a achar o mesmo. 

Para alguém mais distraído, as matrículas são aqui:

https://portaldasmatriculas.edu.gov.pt/pdm/#/portal/home 

Captura de ecrã 2020-07-04, às 14.07.17.png

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:41


Mais sobre mim

foto do autor


bertrand

Escolar 2020 - Mrec

Instagram


2020 Reading Challenge

2020 Reading Challenge
Cátia has read 0 books toward her goal of 14 books.
hide




Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D



Comentários recentes